Arquivo da tag: Regeneração Celular

Regeneração Celular Integrada

version en españolEnglish version

Nosso nível de paz estabelece o nível de regeneração celular em nosso corpo. Os momentos de relaxamento são necessários para criarem um ambiente apropriado para que as células funcionem da maneira apropriada para manterem nosso corpo em estado de regeneração.

Os processos energéticos que acontecem em nosso corpo são influenciados pela forma em que nos integramos com a realidade, quando somos conscientes de mantermos nossa mente em estado receptivo e desde nossa paz decidimos integrar a informação exterior recebida, expressamos nossa essência com o propósito de fortalecermos o ambiente de regeneração em nosso corpo e em nossa sociedade.

Confiando em nós mesmos para construirmos desde nossa paz, entendemos que nossa verdade nos conecta com o momento presente de nossa sociedade e nos leva a criar formas diferentes de nos relacionarmos com nós mesmos e com tudo e todos ao redor.

Nossas células respondem a nosso estado pessoal e a cada decisão que tomamos, depende de nós reconhecermos nosso estado de paz e tomarmos cada decisão só se está alinhada com ele, para potencializarmos nossa própria regeneração celular.

version en españolEnglish version

Necessidades Nutricionais: Adaptação ao Contexto

version en español

English version

Na medida em que a humanidade evolui, os hábitos alimentares vão transformando-se. O leite e a carne tem sido alimentos necessários, sobre tudo, para os povos que tem vivido como nómades (geralmente de sangue tipo B) e para os povos que têm se dedicado à caça, seja por falta de conhecimento para trabalhar a terra ou pela infertilidade do solo em que habitam (geralmente de sangue tipo O), mas, são realmente necessários os laticínios e cárneos para nossa nutrição? A resposta é: NÃO. O único motivo pelo que estes alimentos ainda são relevantes é pela presença de vitamina B12 que, fácilmente, se pode encontrar no consumo ovos cozidos. Fora isso, a vitamina B12 é conservada no fígado.

Atualmente, temos uma estabilidade maior que nos permite desenvolver a agricultura em nossos solos férteis e transportar os produtos naturais a vários lugares, posibilitando o consumo dos nutrientes de que realmente precisamos. Por este motivo é possível que nos adaptemos ao contexto para que realmente demos a nosso corpo o necessário para nutrirmos nossas células e permitirmos que haja mais energia para mantermos nossa saúde (clique aqui para ler sobre micronutrientes para regeneração celular), desta maneira, e associando a nutrição a hábitos saudáveis como aprendermos a respirar, a permitirmos fluir as emoções, a dormirmos o suficiente e a fazermos exercícios físicos (clique aqui para comprar o livro 7 Níveis Para o Empoderamento Pessoal, que traz exercícios práticos para integrarmos e criarmos uma vida mais íntegra e saudável) aumentamos nossos níveis de energia e aprendemos a nos relacionarmos de uma maneira mais consciente com nosso próprio corpo.

Agora que temos a opção de adquirirmos hábitos que constroem nossa nutrição, é importante que comecemos a buscar conhecimento, a experimentarmos com nosso próprio corpo (clique aqui para ler sobre expandirmos a consciência nutricional) e a encontrarmos a maneira mais apropriada para nos nutrirmos. Ao fazermos isto, estamos apoiando a construção de um consumo mais consciente e pacífico (nosso corpo, os animais e o planeta agradecem). Estas são algumas ações que podemos tomar para percebermos a resposta de nosso corpo:

  1. TESTE DE RESTRIÇÃO: Escolhermos um alimento para ser evitado durante uma semana, primeiro a carne de bói, depois a de porco, depois o frango, depois o peixe (de acordo com cada caso) e depois o leite, os queijos, os embutidos, etc. Este mesmo teste é bom para ser feito com todos os alimentos que consumimos, já que cada organismo reage de maneira diferente e a ideia é encontrarmos os alimentos que realmente fornecem energia porque nos nutrem.

  2. TESTE DE CHEIRO E SABOR: O sabor da comida varia muito, sobre tudo quando existe a tendência a misturarmos a comida com outros alimentos, o que é muito comum. A proposta é consumir cada um dos alimentos por separado, sem sal, sentir se realmente gostamos do cheiro e do sabor deles sozinhos, crus e cozidos.

Entendendo como funciona nosso corpo e aprendendo a dar-lhe o que necessita, percebemos que podemos manter um nível alto de energia durante o dia comendo menos (clique aqui para ler sobre comer menos nutrindo mais) e devolver a saúde e integridade a nossos órgãos desde a mesma célula (clique aqui para ler sobre a importância das proteínas para as células).

Com amor,
Ángel

version en español

English version

Micronutrientes Parte 2: Regenerando nossas células

version en español

English version

Agora que entendemos que para nos nutrirmos melhor, precisamos comer menos, mas com mais qualidade (clique aqui para ler a primeira parte da série Micronutrientes), podemos entender melhor como os alimentos funcionais são integrados para potencializarmos a regeneração celular.

Nossas células se regeneran se lhes damos o ambiente adequado e o tempo para fazê-lo, é por isso que devemos evitar os excessos, tanto das coisas consideradas “boas” quanto das consideradas “ruins”, tudo do que nosso corpo realmente precisa no nível nutricional (micro e macronutrientes) deve ser consumido conscientemente na medida apropriada para o nosso próprio corpo, por isso é tão importante percebermos as reações que surgem para cada alimento que consumimos separadamente, considerando que pode haver reações a partir do momento que sentimos o cheiro até o momento em que sai completamente do corpo (clique aqui para ler o artigo sobre a expansão da consciência nutricional).

Agora imaginemos que cada hábito construtivo que temos (nos nutrirmos, respirarmos melhor, fazermos alguma atividade física, cuidarmos da nossa saúde emocional, dormirmos melhor) está potencializando a regeneração celular e mantendo o funcionamento do nosso corpo estável, e que todo hábito destrutivo que temos (consumirmos alimentos vazios, fumarmos, bebermos excessivamente, permanecermos emocionais, respirarmos inadequadamente, sermos sedentários, dormirmos mal) está degenerando cada uma das nossas células e, conseqüentemente, nossos órgãos, causando alterações no funcionamento do nosso corpo que o levam a estados em que não podemos continuar empoderados de nossas próprias vidas, porque dependemos cada vez mais do que nos ajuda a recuperar nosso estado natural de saúde (o qual nós próprios temos deteriorado com nossos hábitos destrutivos, e que portanto podemos reverter).

Entendendo melhor que podemos assumir a responsabilidade de cuidarmos realmente do nosso corpo, como a prioridade principal, pois, se tivermos saúde, podemos nos desempenhar melhor no que gostamos de fazer, vejamos como os alimentos funcionais, aqueles cheios de nutrientes essenciais que melhoram a nossa saúde, nos ajudam na construção de um ambiente adequado para que nossas células continuem seu processo de regeneração trazendo saúde para o nosso corpo e níveis mais elevados de energia:

  1. CONTRIBUIÇÃO DE ENERGIA LIMPA: Ao consumirmos alimentos naturais, ricos em micro e macronutrientes, que são aceitos pelas células, elas continuam seu processo de obterem o que precisam sem terem que lutar contra o que não podem aceitar, portanto, sua energia está limpa e focada em manter seu processo funcional em nosso corpo. Isto é feito principalmente por frutas, vegetais, cereais, nozes e sementes, devido ao alto teor de carboidratos e gorduras saudáveis.

  2. CRESCIMENTO E REGENERAÇÃO: enquanto nosso corpo está crescendo, ele precisa de material para que as células possam dividir-se e formar as estruturas necessárias. Quando chegamos à idade adulta, as células precisam do material apropriado para manterem-se em regeneração constante e renovarem células mortas de órgãos. como a pele. Para o crescimento e a regeneração, os principais alimentos são cereais, nozes, sementes e água (mineralizada), devido ao alto teor de proteínas e minerais..

  3. REGULAÇÃO: Dentro das células, ocorrem reações químicas que precisam, especialmente, a presença de vitaminas para ocorrer. Aqui encontramos a necessidade de consumir frutas, nozes, vegetais e água (mineralizada), devido ao seu alto teor de vitaminas e minerais.

Eu levo uma dieta baseada em frutas, vegetais, cereais, nozes, sementes germinadas e a quantidade adequada de água mineralizada para o meu corpo, onde posso encontrar todos os nutrientes que eu preciso, o único que consumo de fonte animal são os ovos (uma ou duas vezes por mês), eles são minha fonte de vitamina B12 (por enquanto), pois eu prefiro alimentar-me adequadamente que incluir qualquer tipo de suplemento na minha dieta. E você? Sobre o que você baseia sua dieta? Isso funciona para você?

Com amor,
Ángel

version en español

English version

Regeneração Celular: 6 alimentos para aumentar a ingestão diária de proteína

version en español

English version

Todos somos diferentes e é importante que aprendamos a entender os sinais do nosso corpo para alimentá-lo de uma maneira mais eficiente. Seguindo os 4 passos para expandir a consciência nutricional (clique aqui para ler o artigo completo) conseguimos entrar em contato com a reação que os alimentos causam e, assim, integrar isso à nossa dieta. Lembremos que é necessário desapegar de algumas crenças limitantes (clique aqui para ler o artigo sobre crenças) com respeito a certos alimentos, como vimos em artigos anteriores, para poder transformar efetivamente alimentação em nutrição (clique aqui para ler sobre regeneração celular e micronutrientes).

Vamos definir alimentação e nutrição para entender a diferença. A alimentação consiste em consumir substâncias para manter nossas funções vitais, é a maneira em que damos energía ao corpo. A alimentação ocorre, principalmente, baseada na consciência dos macronutrientes, proteínas, carboidratos e lipídeos (gorduras). A nutrição consiste em proporcionar substâncias necessárias para nossa conservação e crescimento, aquí percebemos o corpo como um organismo em constante estado de evolução e regeneração que necessita macro e micronutrientes, vitaminas e minerais, para poder conservar o equilíbrio e, consequentemente, criar um estado de saúde perfeita.

Vamos conhecer um pouco sobre as proteínas e sua importância em nossa dieta. No livro Nutrição Humana no Mundo em Desenvolvimento (disponível em Espanhol e Inglês no site da Organização das Nações Unidas Para a Agricultura e a Alimentação – FAO), o Professor de Nutrição Internacional, Michael C. Latham, diz o seguinte sobre as proteínas. As proteínas contêm carbono, hidrogênio, oxigêneo, nitrogêneo e, as vezes, enxofre. São muito importantes para o crescimento e a reparação dos tecidos corporais. As proteínas são o principal componente estrutural das células e constituem a maior porção de sbustância dos músculos e órgãos (junto com a água).

As proteínas são necessárias:

  • para o crescimento e o desenvolvimento corporal;
  • para a manutenção e a reparação do corpo, e para a substituição de tecidos desgastados ou danificados;
  • para produzir enzimas metabólicas e digestivas;
  • como constituinte essencial de certas hormonas, por exemplo, tiroxina e insulina.

Embora as proteínas liberem energía, sua importância principal está em que são parte essencial de todas as células. Todas as células podem necessitar serem substituídas de tempos em tempos, e para isto é indispensavel o aporte de proteínas.

Qualquer proteína consumida além do limite da quantidade requerida para o crescimento, reposição celular e de líquidos, e várias outras funções metabólicas, se utiliza como fonte de energía, mediante a transformação de proteína em carboidrato. Se os carboidratos e a gordura na dieta não produzirem a quantidade energética adequada, a proteína se utiliza para gerar energía; como resultado há menos proteína disponível para o crescimento, reposição celular e outras necessidades metabólicas. Este punto é essencialmente importante para as crianças, que necessitam proteínas adicionais para o crescimento. Se receberem pouca quantidade de alimento para suas necessidades energéticas, a proteína se utiliza para as necesidades diárias de energía e não para o crescimento.

Agora que sabemos a importância das proteínas em nosso corpo é necessário que nos façamos algumas perguntas para saber se estamos consumindo diariamente uma boa quantidade de proteínas:

  1. Que alimentos consumimos todos os dias?
  2. Sabemos se contêm proteína?
  3. Qual é a quantidade de alimentos com proteína que consumimos diariamente?

Se em nossa dieta estão faltando fontes de proteína podemos integrar estes alimentos a nossa dieta:

  1. Amêndoas (21 grs de proteína em cada 100 grs) – TODOS OS TIPOS SANGUINEOS MENOS AB
  2. Nozes do Nogal (15 grs de proteína em cada 100 grs) – TODOS OS TIPOS SANGUINEOS
  3. Nozes de Macadamia (8 grs de proteína em cada 100 grs) – TODOS OS TIPOS SANGUINEOS
  4. Amendoim (26 grs de proteína em cada 100 grs) – TIPOS SANGUINEOS A e AB
  5. Linhaça (14 grs de proteína em cada 100 grs) – TODOS OS TIPOS SANGUINEOS
  6. Ovos Cozidos (13 grs de proteína em cada 100 grs) – TODOS OS TIPOS SANGUINEOS

Lembremos que quanto mais limpo estiver nosso intestino melhor se dará a absorção de nutrientes, por isso é importante manter uma dieta saudável com quantidade suficiente de água e fibras (clique aqui para ler o artigo sobre absorção de nutrientes).

Com amor,
Ángel

FONTES:

version en español

English version