Arquivo da tag: comunicação

Comunicar

version en españolEnglish version

A comunicação é um aspecto muito importante em nossa vida, mais do que podemos pensar. Temos aprendido a nos comunicar de diferentes maneiras através de gestos, expressões, palavras e atos para transmitirmos o que pensamos e sentimos, a questão é aprendermos a nos comunicar da maneira mais apropriada para nós, pois cada um tem um mundo mental, sentimental e físico diferente, portanto é essencial conectarmos com nós mesmos para nos comunicarmos com tudo o que somos.

Quando percebemos a comunicação como uma ferramenta de construção, entendemos que é essencial trabalharmos nossa coerência entre o que sentimos, pensamos, dizemos e fazemos, pois cada um destes aspectos fortalece o que construímos.

Há momentos apropriados para nos comunicarmos, para mantermos o silêncio, para transmitirmos o que somos, para construirmos com tudo e todos ao redor, a comunicação é a forma de expressarmos nossa intenção, a partir daqui construímos nossa vida.

version en españolEnglish version

O Prazer de Aprender: Autoeducação

Com a intenção de produzir uma profunda reflexão sobre a educação em nossa sociedade, tenho escrito este livro no que abordo aspectos essenciais da educação e sua contribuição à construção individual e social. A partir de nossa reflexão, podemos construir nossa própria forma de contribuir para uma educação desde a integridad do ser humano para a integridade da sociedade.

É através do conhecimento e da reflexão que criamos coerência entre quem somos e onde vivemos, por isto, é essencial entendermos que cada um de nós é parte fundamental na educação de nossa sociedade. O que fazemos em nosso presente constrói nosso futuro.

Este livro de fácil leitura está disponível para envio por email.

Além das etiquetas

version en españolEnglish version

Nossa mente busca definir tudo o que vivemos para fortalecer nossa identidade, mas podemos treiná-la para que se identifique com a segurança de vivermos no presente.

Vivermos no presente implica entendermos que tudo está em constante movimento e que ao mesmo tempo há consistência quando construímos desde nossa paz interior.

Somos tudo, temos o potencial de construirmos paz direcionando nossos recursos, de maneira consciente, para esse propósito, as etiquetas integradas potencializam essa construção, mas estarmos totalmente alinhados com cada uma de nossas decisões de pensamentos, sentimentos, palavras e ações é a base para sermos a paz que queremos do mundo.

Nossa experiência além das etiquetas revela nossas verdadeiras afinidades e nossa autenticidade, nos permite aceitar que somos mais do que pensamos e nos leva a ampliar nossa percepção sobre nossa realidade.

A evidência está em nossa experiência, depende de nós percebermos e decidirmos sintonizar com aquilo que realmente queremos construir.

version en españolEnglish version

4 passos para manter a mente no presente

version en español

English version

Quando interagimos com nós mesmos e com tudo ao redor é importante sermos conscientes de agirmos mais e reagirmos menos. Hoje vamos focar nos pensamentos, o que passa por nossa mente em cada momento.

Em 2016 participei num treinamento para construir uma comunicação mais assertiva e a mensagem é bem clara, carregamos diversos filtros dos quais muitas vezes não estamos conscientes, nossos julgamentos e comparações baseados nas próprias crenças (que às vezes nos dá segurança porque outras pessoas também as compraram), e esses filtros fazem que nossa mente esteja sempre reagindo ao que vivemos em vez de estar presente (clique aqui para ler sobre decidirmos por convicção).

Muitas vezes ao conversarmos com alguém começamos a julgar o que diz, em nossa mente, seja de maneira positiva ou negativa, e já temos uma resposta pronta. Em alguns casos a pessoa nem sequer termina de falar e já respondemos (antes de esquecermos). E o mesmo fazemos continuamente em quase tudo o que fazemos. Cozinhamos pensando no horário, tomamos banho pensando em que roupa usar, etc., qualquer situação bagunça nossa mente quando não somos conscientes de trazê-la ao momento presente.

Hoje vamos seguir estes passos para trazer nossa mente ao “aquí e agora” e treiná-la para que aja a partir do momento, em vez de reagir a partir dos filtros:

  1. Escolhermos uma só ação para focar a atenção mental.
  2. Focarmos na pessoa e/o na ação que está acontecendo.
  3. Se aparecer um pensamento deixá-lo passar e voltar ao ponto de foco.
  4. Sentirmos, com todo nosso sistema perceptivo, o que estamos vivendo.

Na medida em que praticamos seguindo estes passos, nossa mente vai se acostumando com o novo padrão de comportamento e muda nosso estado de atenção e conexão com a vida. Compartilhe este post com quem possa precisar e escreva nos comentários sua história. Sua mente vive no futuro, no pasado ou no presente?

Com amor,
Ángel

version en español

English version

Humanidade Consciente: Respeitando as Diferenças

version en español

English version

É essencial integrarmos perspectivas que nos permitam construir com mais consciência o que realmente queremos como sociedade. Quando decidimos nos aproximarmos mais, respeitando as diferenças de crenças pessoais, conseguimos construir novas situações que nos permitem expandir nossa percepção do mundo, já que cada um de nós tem uma percepção diferente de acordo ao que vive.

Neste momento, temos a oportunidade de entendermos que quanto mais focamos, de maneira construtiva e integrativa, nas diferenças, mais contribuimos para construirmos justiça e inclusão. Todos temos direito a termos o conhecimento de que somos 100% responsáveis pelo que decidimos viver, depende de nós focarmos nossa energia para construirmos o que desejamos (nunca depende do externo, é nossa própria vontade).

Esta iniciativas que tenho aplicado em minha vida, têm me servido para expandir minha percepção do mundo e para construir relacionamentos mais respeitosos e íntegros:

  1. ESCUTAR: Estamos acostumados a ouvir (perceber o som), mas escutar requer prática, pois para isso necessitamos entender que não tudo o que sabemos é o que parece, que nossa realidade não é a realidade que todos vivem. Só assim conseguimos perceber a informação e integrá-la à situação colocándo-a em perspectiva, e a partir daí, decidir se o que temos para dizer realmente constrói e se necessita ser realmente expressado. Aprendermos a escutar implica evitarmos dar respuestas automáticas ou conselhos que vêm de nossa convicção de nos sentirmos superiores de alguma maneira.

  2. NOS EXPRESSARMOS ASSERTIVAMENTE: a expressão assertiva inclui coerência, transparência e neutralidade. Para practicá-la necessitamos deixar de lado os julgamentos, pois eles não são a verdade absoluta, mas uma percepção da realidade de acordo com nossa experiência; saber o que queremos expressar e o impacto que queremos causar com isso, e agir de acordo com o que queremos colher em nossa vida.

  3. INTEGRAR: assumindo uma postura integrativa ao interagirmos com o mundo, podemos perceber algo que pode ser útil para o que queremos construir. Uma frase, um vídeo, um livro, etc., podem ser a chave para abrirmos um mundo de possibilidades em nossa vida. Partindo da base de que podemos aprender de todos e de tudo, nossa postura nos faz respeitar e aceitar diferenças.

Respeitarmos as diferenças não quer dizer que temos que aprender a viver o tempo todo com todo mundo do lado, mas que precisamos aprender a conviver como sociedade para podermos colher o respeito que tanto exigimos dos outros. Somos realmente respeitosos para exigirmos respeito? (clique aqui para ler o texto sobre o respeto)

Com amor,
Ángel

version en español

English version

Pais Construtivos: 6 passos para ter um relacionamento assertivo com os filhos

version en español

English version

Para que os relacionamentos sejam construtivos necessitam investimento de tempo e comprometimento das pessoas que estão neles, sem importar seu propósito ou sua natureza. Pais, irmãos, tios, avôs, netos, primos, amigos, companheiros, professores, alunos, namorados, esposos, clientes, empresas, etc, podemos melhorar nossa vida observando como nos relacionamos e avaliando a construtividade de nossas interações (clique aqui para ler sobre relacionamentos construtivos).

Quando nos colocamos no lugar da outra pessoa podemos ter uma perspectiva um pouco mais ampla e objetiva do que está acontecendo, pois conseguimos ir além dos títulos que temos que nos levam, muitas vezes, a agir desde o que pensamos que representam, sem levar em conta que somos muito mais que isso. Como filhos ao nos colocarmos no lugar de nossos pais, entendendo que fazem o melhor que podem desde sua perspectiva, que têm nos ensinado a viver neste mundo, através de sua experiência, e que suas emoções e seus miedos impulsam em grande parte a maneira em que interagem conosco, nos faz ser mais conscientes de que como filhos podemos ser melhores apenas trabalhando-nos a nós mesmos. Não precisamos tentar mudar às pessoas, nos sentirmos bem com nossa própria evolução e trabalho pessoal é suficiente para que todos ao redor conheçam coisas novas que podem ajudá-las a transformarem-se a si mesmas.

Sabemos que como filhos temos a oportunidade de criar harmonia com nossos pais (clique aqui para ler sobre filhos conscientes) e é importante que como pais que somos, ou que queremos ser, também assumamos a responsabilidade por atos que na realidade sejam construtivos para o relacionamento com nossos filhos. Aquí temos 6 passos para expandir nossa consciência como pais para termos um relacionamento mais assertivo com nossos filhos:

  1. Entendermos que os filhos são do mundo e que precisam de um exemplo de consciência, autossuficiência, contribuição e respeito em casa para que possam ser eles mesmos e integrar esse exemplo em sua vida para construir um mundo íntegro.
  2. Criarmos um ambiente em que haja expressão transparente e presência total (momentos em que só haja tempo e espaço para a comunicação familiar).
  3. Conhecermos e entendermos a nós mesmos (emocional, sentimental, física e mentalmente) para evoluirmos constantemente e podermos guiar aos filhos por esse caminho integral.
  4. Sermos coerentes e buscar a maneira mais clara possível de explicarmos aos filhos o que para eles não está claro.
  5. Estimularmos a criatividade dos filhos e enriquecê-la através de novos conhecimentos e experiências.
  6. Ensinarmos através do exemplo a importância da claridade e do foco no que eles querem e a disciplina para agirem de maneira assertiva.

Sermos pais é a oportunidade de crescermos em amor, de nos relacionarmos com outra geração para enriquecermos nossa própria experiência, de construirmos o melhor exemplo possível para que esse legado evolua e toque mais corações. Sermos pais é plantar a melhor semente, regá-la, cuidá-la e deixá-la florescer.

Agradeçamos a nossos pais pelo lindo trabalho que tem feito conosco e nos permitamos florescer para sermos pessoas cada vez mais conscientes, responsáveis e construtivas, e levemos essa construção a nossos filhos.

Com amor,
Ángel

version en español

English version

Harmonia da Energia no Contexto

version en español

English version

Tudo é energia. Com esta frase se torna mais fácil entendermos como funciona nossa criação como indivíduos sociais. Em tempos de competitividade em esportes, política, opiniões, etc., percebemos que nenhum dos dois extremos está correto ou errado, cada parte tem pontos importantes que debemos considerar para construirmos de maneira sólida com um mesmo propósito: focarmos nossa energia (atenção, pensamentos, palavras, ações, sentimentos) em construirmos uma sociedade íntegra, em que a meritocracia consciente e a contribuição sejam a base (clique aqui para ler sobre ajuda e contribuição).

Segundo o dicionário Aurélio, harmonía é proporção e coerência. A partir desta definição podemos perceber que o motivo para que exista um extremo é seu oposto (clique aqui para ler sobre polaridades), daí vem a importância de construirmos o mais próximo possível da neutralidade. Como fazemos issso? Simples, podemos pôr em prática os seguintes pontos em nossa própria experiência:

  1. Descobrirmos nossos talentos: todos nascemos com algum talento, é o que fazemos bem naturalmente e nos mantém em estado de fluxo, tranquilos e criando.
  2. Desenvolvermos e contextualizarmos nossos talentos: quando temos descoberto nossos talentos, é necessário desenvolvê-los e integrá-los ao contexto social em que estamos, continuando alinhados ao nosso propósito comum.
  3. Contribuirmos: na medida em que nos especializamos, entendemos que é essencial contribuirmos com nossa intenção, pois cada pensamento, sentimento, palavra e ação, focados no propósito comum nos permite construir de maneira eficiente e sustentável.
  4. Permitirmos que a comunicação flua: com um propósito em comum, a comunicação focada em ampliarmos perspectivas deve fluir para integrar conscientemente as possibilidades mais apropriadas para o momento.
  5. Flexibilizarmos: todo propósito deve ser ajustado, pois todos estamos en constante transformação, então, na medida em que nos tornamos mais conscientes percebemos que é necessário que sejamos flexíveis para integrarmos novos elementos e até descartarmos o que seja desnecessário para nosso propósito.

Que nossas palavras sejam para construirmos e sugerirmos a partir de nossa própria sabedoria (conhecimiento e experiência), que nossos talentos estejam ao serviço de tudo o que existe, que assumamos a responsabilidade por nossa própria energia e confiemos em que todos estamos comprometidos de coração com a integridade, a transparência, o respeito e a coerência (clique aqui para ler sobre nossa coerência).

Com amor,
Ángel

English versionversion en español

Filhos Conscientes: 6 ações para harmonizar nosso lar

version en español

English version

Somos todos filhos, às vezes criamos vínculos com pessoas novas em nossas vidas que nos acolhem como família, outras vivimos a experiência com nossa família de sangue, a final somos todos filhos e ser filho é encontrar a maneira de integrar-se aos padres através do respeto e do amor. Agora que sabemos como exercitar o respeito (clique aqui para ler o texto sobre respeito) podemos entender melhor o que como filhos podemos fazer a cada dia.

Nossos pais nos transmitem sua experiência e assim nos mostram diferentes maneiras de viver. O fato de tê-los em nossa vida não significa que temos que ser iguais a eles mas que podemos aprender deles e ensinar-lhes (clique aqui para ler o texto sobre diferenças). A família é uma estrutura cheia de diversidade na que, ao aplicar a aceitação e o respeito (clique aqui para ler o texto sobre respeito consciente), conseguimos enriquecer nossos pontos de vista para integrá-los à nossa experiência.

Vejamos algumas ações úteis para harmonizar a vida em família sendo filhos mais conscientes:

  1. Absorver o melhor que haja no meio evitando julgar.
  2. Assumir a responsabilidade de nossa vida, evitar culpar.
  3. Colaborar com a harmonia e a manutenção do lar.
  4. Estabelecer e respeitar os espaços e limites (clique aqui para ler o texto sobre limites).
  5. Estar abertos á comunicação.
  6. Agradecer por ser e estar em família.

Em nosso lar podemos, de maneira mais tranquila, aprender a viver por gusto, sem obrigações. Quando nos empoderamos de nosso lar descubrimos a importância do trabalho em equipe. Como filhos devemos entender que somos todos diferentes e que para trabalhar os desafíos que se apresentam na família é importante que aprendamos a nos comunicarmos. Normalmente os pais dão o melhor que podem desde sua experiência, embora aos olhos de alguns pareça o contrário. Nem os filhos nem os pais temos manuais, por este motivo é importante criar um espaço saudável de comunicação no que se possam expressar os pontos de vista em um ambiente de aceitação e respeito.

Eu decido fazer parte ativa da harmonia e manutençao de meu lar aqui e agora. E você?

Com amor,
Ángel

version en españolEnglish version