Arquivo da tag: comunicação assertiva

7 Níveis Para o Empoderamento Pessoal – eBook para impressão

version en español

English version

Através do processo para reconectar com minha paz interior, tenho chegado à conclusão de que para manifestarmos a paz que queremos no mundo, é essencial nos conhecermos de verdade para potencializarmos nossos talentos e nos integrarmos na medida apropriada ao contexto, assim contribuímos, de maneira autêntica, à construção de uma sociedade de integridade.

A partir dos processos que tenho acompanhado, e aos que tenho contribuido, tem nascido a ideia de transmitir de maneira simplificada o conhecimento que tenho integrado, e do qual sou exemplo, no livro 7 Níveis Para o Empoderamento Pessoal, que, em aproximadamente 100 páginas, integra exercícios práticos, momentos de reflexão pessoal e uma percepção integral de nossos aspectos como seres humanos (mundos mental e emocional integrados ao contexto social), focando nossa energia, para nos desenvolvermos como indivíduos sociais (clique aqui para ler uma parte da introdução do livro).

Cada capítulo é um nível que nos leva a entender com mais profundidade a conexão que há entre nosso sistema de crenças, nossas emoções, nossos sentimentos e nossa autenticidade, para que integremos tudo, da maneira mais apropriada, à expressão integral de nossa essência, e assim, fortalecermos nossa coerência desde nosso coração, nossa paz interior.

Somos a integração de várias dimensões, necessitamos encontrar nossa medida apropriada para contribuirmos como parte do todo, agradecermos, aceitarmos e potencializarmos a autenticidade em unidade.

Para adquirir o livro eletrônico para impressão, clique aqui

O livro inclui uma dedicatória personalizada.

Com amor,
Ángel

version en español

English version

4 passos para manter a mente no presente

version en español

English version

Quando interagimos com nós mesmos e com tudo ao redor é importante sermos conscientes de agirmos mais e reagirmos menos. Hoje vamos focar nos pensamentos, o que passa por nossa mente em cada momento.

Em 2016 participei num treinamento para construir uma comunicação mais assertiva e a mensagem é bem clara, carregamos diversos filtros dos quais muitas vezes não estamos conscientes, nossos julgamentos e comparações baseados nas próprias crenças (que às vezes nos dá segurança porque outras pessoas também as compraram), e esses filtros fazem que nossa mente esteja sempre reagindo ao que vivemos em vez de estar presente (clique aqui para ler sobre decidirmos por convicção).

Muitas vezes ao conversarmos com alguém começamos a julgar o que diz, em nossa mente, seja de maneira positiva ou negativa, e já temos uma resposta pronta. Em alguns casos a pessoa nem sequer termina de falar e já respondemos (antes de esquecermos). E o mesmo fazemos continuamente em quase tudo o que fazemos. Cozinhamos pensando no horário, tomamos banho pensando em que roupa usar, etc., qualquer situação bagunça nossa mente quando não somos conscientes de trazê-la ao momento presente.

Hoje vamos seguir estes passos para trazer nossa mente ao “aquí e agora” e treiná-la para que aja a partir do momento, em vez de reagir a partir dos filtros:

  1. Escolhermos uma só ação para focar a atenção mental.
  2. Focarmos na pessoa e/o na ação que está acontecendo.
  3. Se aparecer um pensamento deixá-lo passar e voltar ao ponto de foco.
  4. Sentirmos, com todo nosso sistema perceptivo, o que estamos vivendo.

Na medida em que praticamos seguindo estes passos, nossa mente vai se acostumando com o novo padrão de comportamento e muda nosso estado de atenção e conexão com a vida. Compartilhe este post com quem possa precisar e escreva nos comentários sua história. Sua mente vive no futuro, no pasado ou no presente?

Com amor,
Ángel

version en español

English version

Humanidade Consciente: Respeitando as Diferenças

version en español

English version

É essencial integrarmos perspectivas que nos permitam construir com mais consciência o que realmente queremos como sociedade. Quando decidimos nos aproximarmos mais, respeitando as diferenças de crenças pessoais, conseguimos construir novas situações que nos permitem expandir nossa percepção do mundo, já que cada um de nós tem uma percepção diferente de acordo ao que vive.

Neste momento, temos a oportunidade de entendermos que quanto mais focamos, de maneira construtiva e integrativa, nas diferenças, mais contribuimos para construirmos justiça e inclusão. Todos temos direito a termos o conhecimento de que somos 100% responsáveis pelo que decidimos viver, depende de nós focarmos nossa energia para construirmos o que desejamos (nunca depende do externo, é nossa própria vontade).

Esta iniciativas que tenho aplicado em minha vida, têm me servido para expandir minha percepção do mundo e para construir relacionamentos mais respeitosos e íntegros:

  1. ESCUTAR: Estamos acostumados a ouvir (perceber o som), mas escutar requer prática, pois para isso necessitamos entender que não tudo o que sabemos é o que parece, que nossa realidade não é a realidade que todos vivem. Só assim conseguimos perceber a informação e integrá-la à situação colocándo-a em perspectiva, e a partir daí, decidir se o que temos para dizer realmente constrói e se necessita ser realmente expressado. Aprendermos a escutar implica evitarmos dar respuestas automáticas ou conselhos que vêm de nossa convicção de nos sentirmos superiores de alguma maneira.

  2. NOS EXPRESSARMOS ASSERTIVAMENTE: a expressão assertiva inclui coerência, transparência e neutralidade. Para practicá-la necessitamos deixar de lado os julgamentos, pois eles não são a verdade absoluta, mas uma percepção da realidade de acordo com nossa experiência; saber o que queremos expressar e o impacto que queremos causar com isso, e agir de acordo com o que queremos colher em nossa vida.

  3. INTEGRAR: assumindo uma postura integrativa ao interagirmos com o mundo, podemos perceber algo que pode ser útil para o que queremos construir. Uma frase, um vídeo, um livro, etc., podem ser a chave para abrirmos um mundo de possibilidades em nossa vida. Partindo da base de que podemos aprender de todos e de tudo, nossa postura nos faz respeitar e aceitar diferenças.

Respeitarmos as diferenças não quer dizer que temos que aprender a viver o tempo todo com todo mundo do lado, mas que precisamos aprender a conviver como sociedade para podermos colher o respeito que tanto exigimos dos outros. Somos realmente respeitosos para exigirmos respeito? (clique aqui para ler o texto sobre o respeto)

Com amor,
Ángel

version en español

English version

Focando Nosso Fanatismo

version en español

English version

Ao longo de nossa vida temos tido a oportunidade de percebermos como o fanatismo tem sido usado como ferramenta de segregação, mesmo tendo o potencial de ser usado desde a integração. Nosso desejo de termos a razão sobre o que acreditamos gera conflitos, pois todos vivemos nossa experiência desde perspectivas diferentes, então, se realmente queremos construir paz, é essencial que exercitemos a ideia de sermos fanáticos do que nos une para nos integrarmos como indivíduos sociais: nossa integridade.

Vejamos alguns aspectos para focarmos nosso fanatismo na nossa integridade pessoal, integrando a ciência das coisas e nossa experiência pessoal:

  1. Conheçamos nosso corpo: através de nossa vontade, exercitamos todo nosso corpo, por isso ao conhecermos melhor como funcionam as células e sua nutrição (clique aqui para ler o texto sobre regeneração celular), os músculos, os ossos, as articulações, e suas respectivas funções integradas, podemos transformar nossa nutrição, para construirmos nossa saúde e melhorarmos nossa disposição, independente da idade. Lembremos-nos de que para que haja funcionamento deve haver manutenção e uso constantes.
  2. Entendamos nosso mundo mental: aquilo no que acreditamos sempre pode ser transformado, então, tudo o que pensamos nos produz tranquilidade?, se a resposta é não, é momento de analizarmos e transformarmos nossas crenças de uma forma que nos levem a construir a partir das diferenças (clique aqui para ler o texto sobre reprogramarmos nossos pensamentos).
  3. Transformemos nossas emoções: as emoções nos fazem reagir perante o mundo, ao reconhecermos o que sentimos dentro cada vez que estão presentes, e aceitá-las, podemos construir sentimentos que nos permitam conectarmos com o respeito, para agirmos de uma maneira mais apropriada (clique aqui para ler o texto sobre sublimação de emoções).
  4. Construamos nossa expressão: uma comunicação transparente, coerente e íntegra, requer uma construção consciente e constante onde integramos o que sentimos, pensamos, dizemos e fazemos para projetarmos nossa intenção de construirmos paz. Isto se faz através do autoconhecimento e do exercício de agirmos alinhados ao nosso propósito em todas as áreas de nossa vida, enquanto investimos em nossos talentos pessoais (clique aqui para comprar o livro 7 Níveis Para o Empoderamento Pessoal que nos mostra como exercitar nossa integridade).

Exercitando o fanatismo por nossa integridade, começamos a perceber como o mundo ao nosso redor se transforma, já que, ao focarmos na integridade, a maneira em que interagimos é transformada também (exercitamos o respeito, a transparência e a coerência com nós mesmos, expandindo nossa intençõ além do que poderíamos imaginar).

Como a cada um de nós nos funcionam coisas diferentes, aprendemos a respeitar os outros procesos e inclusive a integrá-los se sentimos que fazem diferença em nossa própria vida. Desta maneira o fanatismo o usamos para reconhecermos o que nos constrói e aplicá-lo efetivamente em nossos hábitos pessoais, sem necessidade de querermos impô-lo aos demais.

Com amor,
Ángel

version en español

English version