Arquivo da tag: autossuficiencia

Costumes

version en españolEnglish version

O costume pode ter nos levado a abraçar muitos lugares emocionais em nossa vida, mas também pode nos trazer de volta para casa, reconectar-nos com nós mesmos (clique aqui para ler sobre vir a nós).

Podemos mudar de hábitos um sem-número de vezes (clique aqui para ler sobre mudança de hábitos), mas há um hábito que fortalece nossa confiança em nós mesmos, intensifica nossa autossuficiência, nos leva a encontrarmos a medida apropriada para nos expressarmos e para darmos e recebermos, é tomarmos cada decisão desde nossa paz.

Decidirmos desde nossa paz nos leva a aceitar que estamos em constante movimento, além do tempo e do espaço, e que a única forma de encontrarmos paz fora é seguir a paz que sentimos dentro no presente.

O costume de decidirmos desde nosso sentimento de paz revela um lado tranquilo e conectado de nós mesmos. Nossa integridade nos leva a permanecermos num estado de fluxo em que em todo momento encontramos recriação integrada a nossa criatividade e à forma de contribuição pessoal desde nossa autenticidade (clique aqui para ler sobre recriação).

version en españolEnglish version

Conectando-nos Com Nosso Coração

version en español

English version

No artigo mais recente, aprendemos sobre como sublimar nossa experiência através do nosso mundo mental, criativo, sexual e emocional (clique aqui para ler sobre sublimação), e estas questões estão totalmente ligadas à nossa conexão pessoal com o nosso coração.

Nosso coração é nosso guia, sempre que vivemos em calma, fazemos o que nos traz paz, nos concentramos em nossos talentos e permanecemos em nosso próprio estado de fluxo, nos sentimos naturalmente alinhados com a vida mesma. No momento em que nossa mente se alinha com a nossa verdadeira natureza e desejo, aqueles que respeitam os nossos próprios limites e sonhos através da calma das nossas interações, vivemos uma vida mais coerente, porque é o momento de grande satisfação que existe como uma consequência da aceitação total de quem somos. Para aprendermos através do amor, é necessário que nos conectemos com o nosso coração e continuemos colocando toda nossa intenção nisso (pensamento, sentimento e expressão).

Para nos conectarmos com nossos corações, é importante que possamos trabalhar nossa própria coerência para alcançarmos nossa auto-suficiência pessoal. A coerência pessoal é a consequência de uma avaliação consciente do desejo do nosso coração, do que realmente gostamos de fazer, para podermos integrá-lo no presente e no nosso contexto, e construirmos bases sólidas para o nosso desenvolvimento em todas as áreas da nossa vida. Cada momento, e cada passo com mais consciência e certeza, nos fortalece de dentro para fora, fazendo com que se potenacialize nosso poder pessoal, tornando-nos autossuficientes, através de nosso próprio talento, e contributivos para nos conectarmos com os talentos dos outros, para construirmos uma sociedade consciente e sustentável.

Ententendo que a nossa realidade vivida do coração é a medida apropriada entre receptividade e atividade em todas as áreas da nossa vida, podemos nos fazer as seguintes perguntas para nos conhecermos um pouco melhor e agirmos de acordo:

  1. Com que tipos de seres fluimos?, com jovens, com cães, com plantas, com crianças, com seres microscópicos, com nossa familia, com nosso par, com nossos amigos, etc. Há muitas opções que podemos considerar para entendermos um pouco mais sobre o que trazemos em nosso coração como talento principal.

  2. Quais são as atividades com as que mais fluimos durante o dia?, há muitas atividades com as que podemos fluir como cozinhar, cantar, limpar, cuidar, escrever, ler, viajar, etc. É importante que saibamos realmente que é no que fluimos fazendo, essas atividades nas que perdemos a noção do tempo porque nos conectamos totalmente com elas, sobre tudo as integradas aos tipos de seres com os que mais fluimos.

  3. O que poderíamos fazer que nos gere ingressos e nos permita fluir? Aqui necessitamos integrar tudo com o que fluimos e colocá-lo no contexto em que nos encontramos. Por exemplo, se fluimos mais com as crianças e fazendo música, podemos iniciar un projeto de música para crianças no parque de nosso bairro, que, de acordo com nossa própria experiência, pode expandir-se ou permanecer onde foi estabelecido. Lembremos-nos de que tudo o que nos faz fluir pode ser remunerado, pois é um serviço que estamos prestando através de nosso talento, nossa paixão e nosso investimento de recursos para fortalecê-los.

Nosso coração só nos leva ao longo dos caminhos que conhecemos em todos os níveis, onde estamos mais conscientes do terreno em que pisamos, então sempre que tivermos uma decisão importante, respiremos profundamente e pensemos em cada uma das opções que temos calmamente, o que nos gere mais paz de espírito é o que estamos preparados para enfrentar com todas as consequências que pode gerar. Lembremos-nos de que, mesmo que não conheçamos as leis, elas aplicam em todos os momentos, vejamos as consequências que tem gerado nossas reações ao longo da vida (na área de relacionamentos de casal, de amigos, de família, do trabalho, da escola, etc.) e saibamos mais sobre as leis do lugar onde vivemos, assim podemos tomar decisões cada vez mais assertivas e construtivas para nós mesmos.

Com amor,
Ángel

version en español

English version

Pais Construtivos: 6 passos para ter um relacionamento assertivo com os filhos

version en español

English version

Para que os relacionamentos sejam construtivos necessitam investimento de tempo e comprometimento das pessoas que estão neles, sem importar seu propósito ou sua natureza. Pais, irmãos, tios, avôs, netos, primos, amigos, companheiros, professores, alunos, namorados, esposos, clientes, empresas, etc, podemos melhorar nossa vida observando como nos relacionamos e avaliando a construtividade de nossas interações (clique aqui para ler sobre relacionamentos construtivos).

Quando nos colocamos no lugar da outra pessoa podemos ter uma perspectiva um pouco mais ampla e objetiva do que está acontecendo, pois conseguimos ir além dos títulos que temos que nos levam, muitas vezes, a agir desde o que pensamos que representam, sem levar em conta que somos muito mais que isso. Como filhos ao nos colocarmos no lugar de nossos pais, entendendo que fazem o melhor que podem desde sua perspectiva, que têm nos ensinado a viver neste mundo, através de sua experiência, e que suas emoções e seus miedos impulsam em grande parte a maneira em que interagem conosco, nos faz ser mais conscientes de que como filhos podemos ser melhores apenas trabalhando-nos a nós mesmos. Não precisamos tentar mudar às pessoas, nos sentirmos bem com nossa própria evolução e trabalho pessoal é suficiente para que todos ao redor conheçam coisas novas que podem ajudá-las a transformarem-se a si mesmas.

Sabemos que como filhos temos a oportunidade de criar harmonia com nossos pais (clique aqui para ler sobre filhos conscientes) e é importante que como pais que somos, ou que queremos ser, também assumamos a responsabilidade por atos que na realidade sejam construtivos para o relacionamento com nossos filhos. Aquí temos 6 passos para expandir nossa consciência como pais para termos um relacionamento mais assertivo com nossos filhos:

  1. Entendermos que os filhos são do mundo e que precisam de um exemplo de consciência, autossuficiência, contribuição e respeito em casa para que possam ser eles mesmos e integrar esse exemplo em sua vida para construir um mundo íntegro.
  2. Criarmos um ambiente em que haja expressão transparente e presência total (momentos em que só haja tempo e espaço para a comunicação familiar).
  3. Conhecermos e entendermos a nós mesmos (emocional, sentimental, física e mentalmente) para evoluirmos constantemente e podermos guiar aos filhos por esse caminho integral.
  4. Sermos coerentes e buscar a maneira mais clara possível de explicarmos aos filhos o que para eles não está claro.
  5. Estimularmos a criatividade dos filhos e enriquecê-la através de novos conhecimentos e experiências.
  6. Ensinarmos através do exemplo a importância da claridade e do foco no que eles querem e a disciplina para agirem de maneira assertiva.

Sermos pais é a oportunidade de crescermos em amor, de nos relacionarmos com outra geração para enriquecermos nossa própria experiência, de construirmos o melhor exemplo possível para que esse legado evolua e toque mais corações. Sermos pais é plantar a melhor semente, regá-la, cuidá-la e deixá-la florescer.

Agradeçamos a nossos pais pelo lindo trabalho que tem feito conosco e nos permitamos florescer para sermos pessoas cada vez mais conscientes, responsáveis e construtivas, e levemos essa construção a nossos filhos.

Com amor,
Ángel

version en español

English version