respeito e responsabilidade

Realmente Agimos Com Respeito?

version en españolEnglish version

Quando prestamos atenção, percebemos que é necessário construirmos coerência com respeito ao respeito, pois, a palavra em si, tem sido usada de uma maneira muito superficial que, geralmente, nos favorece segundo nossa crença pessoal. Então, será que realmente agimos com respeito?

A palavra respeito vem do latim respectus que significa atenção, consideração, mas seu significado social tem sido tocado, sobre tudo, pelo medo. Quando nosso comportamento tem sido adquirido sem ser questionado, existe a tendência a assumirmos que respeitamos porque tentamos agradar às pessoas (por medo à solidão, ao castigo, ao conflito, etc.) e/ou desenvolvemos mecanismos de manipulação para conseguirmos o que queremos e os exercemos com tanta mestría que nem sequer percebemos que estamos sendo pouco considerados com os demais, e com nós mesmos.

Desde esta perspectiva é importante que conectemos o respeito com a responsabilidade que nos leva a reconhecermos e aceitarmos as consequências de nossos atos. Quando decidimos nos conhecermos melhor (clique aqui para comprar o eBook 7 Níveis Para o Empoderamento Pessoal), descobrimos nossa capacidade de canalizarmos nossas reações em ações que constroem através do conhecimento integrado à experiência e de aceitarmos e integrarmos nossos talentos, e a ausência deles, de uma maneira construtiva. Este processo nos permite tornarmos-nos conscientes de que tudo o que sentimos, pensamos, dizemos e fazemos, tem um impacto e que, ao assumirmos a responsabilidade por nossos atos, nos tornamos mais respeitosos a cada nova decisão que tomamos com atenção e conhecimento.

As seguintes perguntas são muito úteis para identificarmos se realmente estamos agindo com respeito, e podem levar-nos a transformarmos a maneira de nos expresarmos para nos conectarmos de uma maneira mais coerente com nosso desejo de construirmos paz desde cada uma de nossas decisões:

  1. Expressamos nosso ponto de vista como experiência para compartilhá-lo (sem necessidade de impô-lo)?
  2. Nutrimos pensamentos de construtividade sobre nós e tudo ao nosso redor? (clique aqui para ler o texto sobre reprogramarmos nossos pensamentos)
  3. Conversamos sobre experiências e pontos de vista para transmitirmos e integrarmos?
  4. Sabemos o que queremos e o comunicamos da maneira mais construtiva possível (com argumentos coerentes e aplicáveis)?
  5. Nutrimos sentimentos que nos fazem sentir conectados com a humanidade e o mundo?
  6. Cumprimos as promessas que fazemos?
  7. Aceitamos aos outros como são e construímos juntos gerando um fluxo apropriado entre darmos e recebermos?
  8. Estabelecemos nossos limites, os comunicamos e respeitamos os limites de tudo ao redor? (clique aqui para ler o texto sobre estabelecermos limites)

Depois de fazermos essas 8 perguntas, podemos perceber que as respostas “SIM” nos indicam onde nossa construção de respeito e responsabilidade está fortalecida, e as respostas “NÃO” nos mostram onde podemos focar a atenção a partir deste momento para fortalecermos ainda mais nossa expressão. Nosso destino o construímos com cada decisão que tomamos aqui e agora, depende de nós usarmos os recursos disponíveis da maneira mais construtiva e íntegra possível.

Com amor,
Ángel

Contato:

Email: empowered.angel@outlook.com
WhatsApp: +57 305 3715480

Artigos PEAhttps://pt.empoweringangle.com/category/angel/
Linkedinwww.linkedin.com/in/empoweredangel
Instagramhttps://www.instagram.com/empowered.angel/
Facebookhttps://www.facebook.com/empowered.angel0/

version en españolEnglish version

2 Comments

  • […] A família é uma estrutura cheia de diversidade na que, ao aplicar a aceitação e o respeito (clique aqui para ler o texto sobre respeito consciente), conseguimos enriquecer nossos pontos de vista para integrá-los à nossa […]

  • […] Pensarmos que temos o controle sobre os outros é uma ilusão. Surge da ideia de que somos superiores ou de que temos mais capacidades, como pais, filhos que mantêm seus pais, professores, chefes, líderes, irmãos mais velhos, namorados, esposos, amantes, etc., e de que inspiramos respeito. Estes relacionamentos de controle se baseiam na ideia de que quem depende de nós, seja física, material ou emocionalmente, pode ser controlado por nós, e na realidade só conseguimos ver o que confirma isto que é a manifestação do medo do outro, que nada tem a ver com respeito. Mas, conseguimos perceber que cada uma das pessoas está decidindo de acordo a seus próprios temores e à posição que decide assumir? (clique aqui para ler sobre respeito) […]

Comente